quarta-feira, 10 de outubro de 2012

aZelite

Por Caio Lafayette

"É uma crise causada por comportamentos irracionais 
de gente branca de olhos azuis..." 

(Luiz Inácio Lula da Silva) 

A frase acima, dita por Lula quando ainda ocupava a cadeira da Presidência da República, tratava da crise econômica mundial, mas simboliza muito bem a maneira como o ex-Presidente lida com situações que não lhe convém: joga a culpa em alguém. Seja a mídia a culpada, a oposição, ‘aZelite’ de olhos azuis ou o Delúbio, ele nunca sabe de nada. 

E quando o maior escândalo de corrupção já visto no país estourou, em seu Governo, sobraram acusações. ‘Lulopetistas’ chegaram a dizer que havia uma conspiração golpista tentando tirá-los do poder, comparando a situação com o golpe de 64. 

Desde 2005, então, convivemos com a certeza de que o Mensalão existiu, mas a incerteza de se, um dia, os responsáveis seriam condenados. 






E o dia 9 de Outubro – grande Outubro, mês da promulgação da Constituição de 1988 – ficará marcado na história do país como o dia em que a justiça disse NÃO ao projeto de poder a qualquer custo instaurado em Brasília pelo Governo que lá esteve entre 2003 e 2010, desrespeitando os princípios da democracia. E quem diria, o líder das condenações não foi nenhum integrante ‘daZelite’ de olhos azuis, mas um negro como tantos de nós brasileiros, digno e correto como a maioria de nós, e que ganhou o respeito de toda a nação, Sr. Ministro Joaquim Barbosa. 


O julgamento ainda não terminou, mas no dia 9 de Outubro de 2012 a Suprema Corte de nosso país confirmou que o Governo Lula pagou parlamentares em troca de votos na Câmara dos Deputados, utilizou-se de dinheiro ilícito pra isso e que os integrantes do tal esquema Mensalão formavam uma quadrilha. 

Em nós cidadãos fica o sentimento de que lutar por eleições diretas, pintar a cara e colher assinaturas para o ficha limpa têm valido de alguma coisa. E, acima de tudo, que se os poderes Executivo e Legislativo perderam o respeito pela democracia, ainda há um STF no caminho deles! 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário